quarta-feira, 26 de junho de 2013

Olha o papo...

Na última sexta-feira tô eu lá no trampo no momento da pausa com 2 colegas alemas...olha o assunto.
Uma comecou a falar o que tinha estudado profissionalmente Schneiderin/alfaiate, costureira... enfim. Outro dia uma outra colega me disse que tinha estudado pra ser Bäckerin/padeira.
Aí ela me pergunta o que tinha estudado, falo a ela, que sou professora.
Ela pergunta de novo, mas onde vc estudou?
Eu digo na Universidade e digo que trabalhei quase 10 anos como tal no Brasil.
Ela ficou admirada.
E eu fiquei na minha, nao sou Einstein ponto.
E ela prossegue, ah vc deveria continuar estudando, se especializar mais.
Que eu iria ganhar muito mais, blá, blá, blá.
Digo a ela que no Brasil pra ser professor vc estuda só uma área e aqui automaticamente vc estuda a  partir de 2.
Prossigo e digo nao tenho mais 20 anos e quero e preciso ter o meu dinheiro todo mês.
Adoraria estudar, mas nao ganharia nenhum euro, muito pelo contrário teria que desenbolsar euros pra prosseguir com os estudos e ser sustentada.

E sério no Brasil nao tenho boas recordacoes da minha área, nao que tudo tenha sido ruim, teve coisas boas, mas muito cansativo e estressante, fora a falta de respeito em todos os sentidos privado e público. Nao corcordo com o salario e nem com a tripla carga horaria de trabalho, manha, tarde e noite pra ter um razoavel salario e ainda levar trabalho pra casa, pq professor trabalha em casa. E nao da pra ser professor so na linda Universidade e o Ensino Básico oi...

Meu alemao teria que ser muito bom para ser professora de História como era no Brasil, teria que ter um puta vocabulario da área. E acredito que a realidade aqui é outra, melhor, sem comparacoes.
A outra colega chega e fica sabendo pela outra que sou professora, mas essa nao deu bola.

Continuamos a conversar e ela disse o seu idioma é português.
E eu sim.
Aí diz que conhece pessoas que foram pra Algarve em Portugal (associacao portugues-Portugal, nada de Brasil, ok, ok...)
Que em Portugal é muito bom, é mais quente, é bonito, blá, blá, blá.

A outra colega diz ah! mais Portugal é muito, muito pobre, nao é bom nao e quer dinheiro de nós, da Alemanha, todos querem assim como a Itália, a Grécia e continua todos querem dinheiro da Alemanha.
E continua nao aguento mais isso todos querem dinheiro de nós, até hj, até os judeus da atualidade que vao buscar as geracoes passadas que sofreram com o nazismo.
E comeca a falar dos romenos, diz que esses sao horríveis , sao pobres, nao dá pra confiar, já tive um outro chefe que me disse a mesma coisa.
Aí ela continuou a falar e citou uma chefe que tem lá que é da Iugoslávia, senti naquele momento que ela nao gosta dela.
Essa iugoslava é chefe das alemas.
Ela comecou a falar que a guerra já acabou lá e que ela deveria voltar, pq essa iugoslava sempre fala da Iugoslavia, que lá é bonito, mais bonito que a Alemanha, que ela tem casa la, sempre viaja pra lá...
Ah! entao pq ela nao volta, ela e essas duas, pq tem mais duas na clinica que sao da Iugoslavia.
Que na Alemanha ta cheio de estrangeiro, de todo tipo.
Que tem muitos estudantes estrangeiros.
Eu digo: é os estrangeiros tem mais interesse em cursar uma Universidade que os alemaes.
Ela retruca e diz: nao, tem muito alemao universitario, mas eles deixam os estrangeiros vir pq eles sao (mais) baratos depois pro mercado de trabalho, citou os chineses.

E elas ficaram tricotando e dizendo que nao podiam dizer nada pra essa chefe, nada do que elas realmente pensam, que ela deveria era voltar pro seu país, deu a entender que nao gostam de uma estrangeira mandar nelas.
Mas na frente é respeito e falsidade, pq por trás metem o pau.

A pausa acabou e voltamos ao trabalho, nao fiquei me sentido mal, mas me senti esquisita no meio daquela conversa, pq sou uma estrangeira.
Aí fiquei pensando no fundo, no fundo acho que a maioria dos alemaes nao gostam dos estrangeiros e acho isso mesmo, pelo fato de realmente haver muitos estrangeiros.
Pelo fato da Alemanha ceder créditos aos países em crise na Europa, mas crédito é crédito, tem que pagar depois, apesar que calotes podem acontecer.

Cheguei em casa e comentei com o marido que é alemao.
Ele comentou que essas pessoas sao idiotas.
Sei que tem alemaes que nao tem problema nenhum com estrangeiro, mas vou dizer acho que é minoria.
Nao tiro e nem dou razao para os alemaes.
Carrego reticências, exclamacoes e interrogacoes... !!! ???


quinta-feira, 20 de junho de 2013

Especial

Nesses 4 anos de Alemanha, nao fiz muitos amigos, adquiri uns conhecidos.
Em 2011 quando fiz o curso B2 de alemao, conheci duas queridas.
Das duas, uma ficou um pouco mais próxima.
Quando a conheci se nao me engano, ela já morava aqui uns 6,7 anos.
Nao nos vemos sempre, mas quando dá marcamos e nos encontramos.
E essa semana ela ligou e nos encontramos.
E a notícia triste que recebi foi, ela está voltando para o seu país.
Depois de quase uns 9, 10 anos.
Na hora fiquei meio passada, mas entendi e entendo as suas razoes.
Ela aqui era sozinha, sozinha mesmo, morava só.
Me contou que ultimamente nas suas viagens, nao que ela viaje muito, nem isso tem graca.
Entao ela decidiu voltar para sua ilha na Espanha.
Voltar, ficar perto da família e fortificar as amizades que ficaram por lá.
No outro dia, nao sei pensei nela e chorei, bateu uma tristeza, uma querida que se vai.
Sei la bateu uma nostalgia do Brasil, um pouco de medo do futuro, ai nao sei.
Passou, pode ser que volte certos sentimentos.
 Mas que ela vá e seja feliz é só o que desejo e espero um dia nos reencontrarmos.

domingo, 9 de junho de 2013

chegou :)

Advinhemmm o que chegoou? A chuteira.
Pois é a história lamentacao acabou, a chuteira linda e maravilhosa chegou nesta última sexta-feira.
E claro fiquei curiosissima pra saber se o meu único sobrinho lindo e amado tinha gostado.
Como uma crianca de 8 anos q ama futebol, ele ficou radiante.
Minha mamita vovó-mae (ele tb a chama de mae, nao é lindo) falou que na mesma hora ele calcou e nao tirou mais, acho que só pra dormir, de tanta euforia queria ir na mesma hora jogar bola.
Fiquei hiper-mega feliz e marido tb pq foi ele que escolheu o modelo.
Agora acho que vou me aventurar a mandar mais umas coisinhas, mas sabendo que demora uns 3 meses né ;)
Por falar nisso queria umas dicas, queria mandar um presentinho, uma lembranca para minha mamita que em agosto faz aniversário, mas queria mandar algo assim que lembrasse a Alemanha, vcs tem alguma idéia, dica, sou toda ouvidos... :)

quinta-feira, 6 de junho de 2013

"causos"

Vou contar um "causo" q aconteceu comigo semana passada, melhor no último feriado cristao o de pentecostes/Pfingsten.
Na verdade foi na véspera.

Sempre na véspera de feriado na Alemanha, os alemaes ficam preocupados com as compras do supermercado.
Tipo assim, temos que comprar tudo, pq amanha o supermercado tá fechado, gente só 1 dia, mas parece que é uma catastrofe.

Entao lá fui eu, tava livre e marido trampando.
Aí o supermercado tava tipo assim cheinho, se meu marido tivesse teria surtado, coisa pouca, nada como os supermercados brasileiros lotados.

Tá entao eu super prática e rápida, tb com a velocidade de certos supermercados alemaes, a gente aprende logo e  eu nao fico muito tempo passeando e nem vendo prateleiras, levo a listinha, pego tudo e pronto. To quase virando robô ;)

Entao com as compras no carrinho/wagen me dirigi ao caixa, tinha umas tres pessoas a minha frente com os seus meio cheios.
Aí parei o meu wagen e vi que ainda ia demorar um pouco pra chegar minha vez, rapidamente deixei meu carrinho na fila e fui pegar uma bebida (meus drinques rai, rô, rôi,oi)  do lado, coisa de 2 a 5 segundos, super rápida e voltei.
Aí vi que uma mulher tinha tirado meu carrinho e colocado o dela, pois eu cheguei e respondi com certa ironia, desculpe, mas meu carrinho estava aqui primeiro e recoloquei o meu no lugar, ela comecou a falar e bufar, eu simplesmente virei as costas e a ignorei friamente e fiquei rindo por dentro e os outros só observando pra ver se ia ter segundo round.

Depois observei que a mulher a frente tb nao estava ali antes e na verdade seriam 2 a furar a fila e me deixar mais pra trás, mas nao dava mais tempo ela já estava na boca do caixa, fiquei só a fuzilando com o olhar.

Resultado: fiquei pensando no Brasil seria simplerrimo fazer isso, aqui to comecando.

Dedicado a Ana do tudo novo de novo... chegaremos lá :)