quarta-feira, 4 de maio de 2011

Sprich mit mir!


Disse que iria falar sobre o que estudei até aqui no curso de alemao B2, entao vamos lá ao segundo capítulo intitulado "Sprich mit mir!"-Fala comigo!
Comecamos com a análise de algumas expressoes faciais, coisa que fazemos o tempo todo e através dessas expressoes podemos perceber os sentimentos como a alegria, a tristeza, a raiva, o susto, enfim.
Também falamos sobre os gestos com as maos, com o corpo, coisa natural, por exemplo, nos deficientes auditivos que utilizam essa linguagem para se comunicar. Aqui faco um parêntese especial, tenho uma irma deficiente auditiva e me lembrei e lembro dela em várias situacoes aqui na Alemanha. Lembro, por exemplo, quando éramos criancas e até mesmo adultas, as perguntas que ela me fazia quando estava vendo TV, ela nao entendia, porque nao escutava e falava como eu e tínhamos que explicar, mas nem toda vez estavámos dispostos. Por causa dessa deficiência ela estudou LIBRAS, a Linguagem Brasileira de Sinais, utilizada por esse grupo de pessoas a qual a minha irma faz parte, é uma outra língua sim, só que nas maos, no corpo e nas expressoes faciais, assim minha irma pôde perceber o mundo mais fácil, fez amigos, estudou, casou, teve filho e vai seguindo sua vida. É interessante ver os deficientes auditivos se expressando, uma sincronia, é há solucao pra tudo nessa vida e acabei aprendendo também um pouco de LIBRAS, na Alemanha também tem mas é  'Deutsche Gebärdensprache'.
E o que isso tem a ver com o estudo do alemao? Pra mim tudo, me senti como minha irma várias vezes ao ver TV, ao escutar rádio, ao ver os alemaes conversando, me irritava o fato de nao entender nada, pedia explicacoes como minha irmazinha fazia. Agora sou eu que muitas vezes pergunto pro marido quando estou vendo TV, entendo, mas nao entendo tudo, e ele tem que explicar e as vezes ele também  nao está disposto, deu pra entender a semelhanca com a minha irma?!
Sim, mas voltando ao capítulo, todos os textos muito interessantes. O primeiro, quando é melhor estudar um novo idioma, quando crianca ou adulto? O segundo como puxar uma conversa em alemao? O terceiro como argumentar? Muitas palavras novas, textos a serem mais que traduzidos e sim  entendidos. Claro que estudar um novo idioma quando crianca é mais fácil, mas nós adultos que estamos vivendo essa experiência de viver em um outro país nao podemos desistir, vamos estudando e aos poucos conseguindo. Puxar uma conversa com um alemao, nao é tao fácil assim, mas entao vamos puxar conversa com aqueles que já conhecemos, vou contar 2 histórinhas.
Há umas 2 semanas eu e marido saímos com um casal de alemaes e fiquei toda feliz, porque da conversa que eu escutava, eu estava entendo alguma coisa, eles até me perguntaram se eu estava entendendo e expliquei que sim, contei sobre o que achava que conversavam e nao é que disseram, "é voce está entendendo". Depois fiquei conversando só com a alema, fazendo perguntas sobre o tema da conversa e mais uma vez fiquei feliz e pensei comigo mesma, "meu Deus estou conseguindo conversar". E hoje ao sair para ir ao supermercado encontrei um paciente da Clínica que eu trabalho, um senhor muito bacana, ele me reconheceu e conversamos por uns 20 minutos, tao bom já estar conseguindo me comunicar. Quanto a argumentar, pra mim é muito importante, tenho um temperamento arretado e sou daquelas que pensei, falei. Aqui tenho que me controlar um pouco, porquê será rs? Mas vou soltando minhas opinioes e sempre disse que estudo alemao TAMBÉM porque quero falar tudo o que penso como falava em português, nenhum alemao vai me calar, tá pensando o que tenho personalidade.
E a gramática foi um tal de als, wie, je... desto/umso. Depois faco um post só sobre essa parte da gramática.

2 comentários:

  1. Oi flor!

    Eu já tinha visto o teu blog. Me falta colocar nos favoritos!

    Coloquei o teu link no meu blog.. bjobjo

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    Vim retribuir o comentário que vc deixou no meu blog e aproveito para comentar que achei o seu blog super interessante. Assim como vc, sou mais uma brasileira que veio para Berlin por ter um marido alemão e consigo me enxergar em várias experiências como a entrevista para o emprego, as aulas de alemão, os colegas estrangeiros, entre outras coisas!

    Abraços

    Fernanda

    ResponderExcluir