quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Aniversário da Ilha

"Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar - sozinho, à noite -
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu'inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá."

Goncalves Dias (Cancao do Exílio)

domingo, 5 de setembro de 2010

Poetando!

Falando em outra língua, tentando pronunciar e entender.
Mudou-se de lugar e condicao.
Tudo novo, novo mesmo, como se fosse crianca.
Um renascimento, primeiros passos, palavras e ...
Espanto, choque, surpresa, será tudo igual?
Alegrias, tristezas, saudade, um misto de sentimentos.
Pensamentos que viajam.
Viajar por viajar, com ou sem destino.
Um tempo devagar, mas o desejo é a pressa.
Experiências semelhantes, mas nada é idêntico para todos.
Vontades, muitas, ah!!!
Tudo vem de dentro.
De dentro é a razao e a emocao.
Paro, mas só nesse instante.
O novo virá, sempre vem!